sábado, 27 de novembro de 2010

Campanha Banco Alimentar... não gostei de ver

(Imagem da Net)

Todos nós sabemos da importância das campanhas levadas a cabo pelo Banco Alimentar. Há quem precisa, há quem procura alimentos, há muita pobreza escondida... isso é um facto que ganha cada vez mais uma maior dimensão no nosso país.
Há também casos que eu chamaria de pobreza envergonhada, mas que, não tendo outra alternativa, não resta a essas pessoas procurarem as IPSS para solicitarem ajuda.

Quando é dada resposta a quem precisa, isso é de aplaudir. Mas essa capacidade de resposta também resulta, em muito, da sensibilidade do povo e, acima de tudo, da sua solidariedade.

Hoje e amanhã, decorre a campanha do Banco Alimentar num hipermercado perto de si. Acho que, com muito ou pouco, qualquer um de nós acaba sempre por contribuir.
Cada um dá de acordo com a sua vontade, possibilidade ou até consciência.

Eu já contribuí hoje.

À saída de um hipermercado entreguei o saco aos voluntários. Este ano optei por enlatados (leguminosas).

Mas... agora vem a parte que me deixou revoltada, de boca aberta... o que lhe quiserem chamar.
À saída do hipermercado, já no estacionamento, encontravam-se duas carrinhas do Banco Alimentar, onde vão "despejando" os artigos angariados junto do clientes.

Numa delas decorria a transferência de sacos, do carrinho de supermercado para o seu interior.

Lamentavelmente, o indivíduo que fazia esse serviço não deve precisar nada, mas nada mesmo, da ajuda de ninguém, caso contrário não procedia à arrumação dos sacos sem cuidado, atirando-os para o fundo da bagageira (comprida, tipo carrinha de 9 lugares sem bancos).

Aquele gesto revoltou-me.
Porque se eram frascos de vidro, então acabavam por partir-se.
Se eram pacotes de massa, podiam rebentar.

Parecia que estava a atirar algo sem importância, como se de lixo se tratasse, ao invés de colocar os sacos com cuidado, empilhando-os adequadamente.

Só pergunto:
Será que este tipo de pessoas quando vão às compras também as guardam na bagageira a 2 metros de distância, atirando-as assim, ao Deus dará.

Lamentável, repito.
Ainda por cima ao serviço de uma delegação que tanto se gaba de conseguir várias toneladas de alimentos (e ainda bem), mas que, se calhar, terá de contabilizar alguns quilos desperdiçados, sem razão.

Oxalá nunca precise de recorrer ao Banco Alimentar, Sr.

3 comentários:

Bomboca do Amor disse...

Há pessoas que são demasiado insensíveis ou sei lá mais o quê!
Beijinhos,
Bomboca do Amor.

Miss B-Beautiful disse...

De facto, lamentável! Se fossem as compras dele de certeza que não as guardava assim...
Eu tb já contribuí mas felizmente ou infelizmente (nem sei) não assisti a nenhum episódio desse género. Se não, não sei se não iria mandar vir com o fulano...

Isis disse...

Trabalhei três anos ao lado de um armazém do Banco Alimentar e sinceramente nunca vi uma carrinha de instituições de solidariedae a carregas, mas sim carros de alta cilindrada. Nem quero pensar para onde irá a comida e se chega a apodrecer em armazéns como já se noticiou na tv.

Prefiro dar às pessoas da minha zona que precisem e aos animais abandonados.