domingo, 28 de março de 2010

Ramos e raminhos

Hoje é Domingo de Ramos. Antigamente (pareço uma velha a dizer isto!!!)... ok... quando tinha menos de 18 anos (!!), este dia era uma azáfama. Íamos cortar o ramo das oliveiras e depois enfeitáva-mo-lo com várias flores... coisas de criança. A ideia era ficar giro e destacar-se entre os ramos dos adultos, pois, esses, iam completamente despidos de qualquer tipo de decoração. Simples, mas com o mesmo valor.
Na missa eram, então, benzidos, e guardados religiosamente em casa. A 3 de Maio, eram ajeitados, em forma de cruz, e colocados nos terrenos que tinham trigo ou centeio. A ideia era pedir a todos os santinhos que tudo de bom acontecesse ao cereal.
Recordações de infância... naquela altura em que não tinha responsabilidades como hoje...

2 comentários:

Rita G. disse...

Aqui na minha aldeia ainda de fazem essas coisas:-) Bj

Carrie disse...

Responsabilidades...que boa vida tinhamos quando os costumes e as tradicções eram mais improtantes que os relatorios e os processos e os clientes...ah saudades do passado!