quarta-feira, 12 de maio de 2010

Útil e não fútil

(Foto da Net)

Há momentos do dia, por vezes poucos, é certo, em que nos sentimos úteis e não fúteis. Ontem vivi isso mesmo, num supermercado. Uma senhora, cliente, veio ter comigo (eu também era apenas uma cliente), perguntando-me se um determinado creme depilatório que trazia na mão servia para cortar o bigode. Comecei a ler e vi que era para o corpo e não para o rosto.
A senhora teria uns 40 e poucos anos.
Dirigimo-nos à prateleira desses mesmos produtos e não havia nenhum creme para cortar o buço.
Bem, lá estive eu a explicar à senhora que não era conveniente cortar o buço - porque ela diz que anda a usar lâminas -, porque depois ficaria mais forte, etc...
Poderia sim, era optar pelas bandas de cera, adequadas ao rosto.
Não se convenceu.
Depois, expliquei-lhe que podia adquirir uma panelinha e cera e, com a ajuda de uma pequena espátula, aplicá-la no buço. Um gesto simples, barato e com resultados bem melhores do que com a lâmina.
E assim foi. Ela aceitou o conselho e disse que iria fazer isso mesmo.
O supermercado só perdeu, porque não tinha cera à venda!!
E foi assim, senti-me útil por breves instantes :)
Consegui que, aparentemente, uma senhora deixasse de usar lâmina no buço. Ou seja, que deixasse de fazer asneiras deste tamanho!

1 comentário:

almighty yellowphant disse...

possas, pensava que já ninguém fazia o buço com lamina (tirando homens). fizeste bem :)